ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Novembro 2021

segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Precisão da transferência de quatro métodos diferentes de transferência de contenções linguais usando modelos ortodônticos digitais: Um estudo comparativo in vivo

 







Neste artigo de 2021, publicado na Angle Orthodontics, pelos autores Yasemin Nur Korkmaz; Semiha Arslan. Do Department of Orthodontics, Faculty of Dentistry, Bolu Abant Izzet Baysal University, Bolu, Turkey. Teve o objetivo de comparar a precisão da transferência de quatro métodos diferentes de contenções línguas (LR) usando modelos digitais tridimensionais.

Quatro grupos com 17 pacientes foram criados: transferência manual (FT), transferência com chave de silicone (SKT), transferência com resina acrílica (ART) e colagem indireta (BID). Ao final do tratamento ortodôntico, os modelos de gesso mandibulares dos pacientes foram digitalizados com o fio LR. Em seguida, foi realizada a varredura intraoral das arcadas inferiores após a colagem dos fios de contenção. As medidas lineares e angulares foram feitas por meio de software em modelos digitais sobrepostos.

Os erros horizontais e verticais entre os dentes não foram significativamente diferentes entre os grupos FT, SKT e ART. No entanto, no grupo BID, os erros de transferência linear mostraram diferenças significativas entre os diferentes dentes. Os erros de ponta e rotação no grupo FT não foram significativamente diferentes entre os dentes. Os erros angulares foram menores nos caninos do que nos incisivos. Em todos os parâmetros medidos, o grupo SKT apresentou os menores erros, enquanto o grupo FT apresentou os maiores erros de transferência em todos os parâmetros, exceto vertical.

Os autores concluíram que entre os métodos de transferência testados, o SKT foi determinado por ter a maior precisão clínica.


Link do artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/6/778/468060/Transfer-accuracy-of-four-different-lingual

segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Avaliação tridimensional da acurácia de transferência com jigs para braquetes confeccionados usando projeto de fabricação auxiliado por computador para os dentes anteriores: um estudo in vitro






Neste artigo de 2021, publicado pelo The Koran Journal of Orthodontics, pelos autores Jae-Hyun Park; Jin-Young ChoiSeong-Hun KimSu-Jung Kim;  Kee-Joon LeeGerald Nelson. Department of Orthodontics, Graduate School of Dentistry, Kyung Hee University, Seoul, Korea e do Department of Orthodontics, Institute of Craniofacial Deformity, Yonsei University College of Dentistry, Seoul, Korea. Teve o objetivo de Avaliar a precisão de um sistema de jigs para braquetes de uma peça, fabricados usando projeto e manufatura auxiliados por computador (CAD / CAM), empregando sobreposição digital tridimensional (3D).

Este estudo in vitro incluiu 226 dentes anteriores selecionados de 20 pacientes em tratamento ortodôntico. Os erros de posição dos braquetes de cada um dos 40 arcos foram analisados quantitativamente por meio da sobreposição digital 3D (algoritmo de melhor ajuste) do braquete virtual e real após a colagem indireta, após levar em consideração possíveis variáveis que podem afetar a precisão, como apinhamentos e presença de base de resina.

O dispositivo pode transferir o braquete com precisão para a posição desejada nos dentes do paciente dentro de uma faixa clinicamente aceitável de ± 0,05 mm e 2,0 ° para medições lineares e angulares, respectivamente. As medidas lineares médias variaram de 0,029 a 0,101 mm. Dentre as medidas angulares, os valores de rotação apresentaram o menor desvio e variaram de 0,396 ° a 0,623 °. O viés direcional foi pronunciado na direção vertical, e muitos braquetes foram colados em direção à superfície oclusal. No entanto, não foi encontrada diferença estatística para os três valores de medidas angulares (torque, angulação e rotação) em nenhum dos grupos classificados de acordo com o apinhamento. Quando os dentes estavam moderadamente apinhados, os valores das medidas mésio-distal, vestíbulo-lingual e rotação foram afetados pela presença da base de resina.

Os autores concluíram que as características do sistema na construção de jigs em uma peça por CAD / CAM   foram demonstradas de acordo com os fatores de influência, e a precisão da transferência foi verificada como estando dentro de um nível clinicamente aceitável para a colagem indireta de braquetes em dentes anteriores.


Link do artigo na integra via E-KJO:

https://e-kjo.org/journal/view.html?doi=10.4041/kjod.2021.51.6.375

terça-feira, 16 de novembro de 2021

Comparação do tempo de uso entre aparelhos monobloco e "twin-block" medido por microssensor

 




Neste artigo de 2021, publicado na Angle Orthodontist, pelos autores Cansın Kutay; Hulya Kılıcoglu; Guls􏰀ilay Sayar. Do Department of Orthodontics, Faculty of Dentistry, Istanbul University, Istanbul, Turkey. Department of Orthodontics, School of Dental Medicine, Bahcesehir University, Istanbul, Turkey. Teve o objetivo avaliar os níveis de cooperação objetiva em pacientes portadores de Classe II esquelética com retrognatia mandibular usando aparelhos monobloco e Twin-block.

Um estudo clínico prospectivo foi conduzido com 30 pacientes entre 10 e 15 anos de idade, igualmente divididos em dois grupos de estudo. O grupo 1 foi tratado com monobloco e o grupo 2 foi tratado com aparelhos de Twin-Blocks. Os pacientes foram orientados a usar o aparelho 15 horas por dia. Os tempos de desgaste foram monitorados por um microssensor. (TheraMon; MCTechnology, Hargelsberg, Áustria) para uma média de seis consultas. Os pacientes também foram instruídos a registrar seus tempos de uso em um gráfico, e esse registro foi admitido como tempo de uso subjetivo. A análise estatística foi realizada com os dados derivados dos prontuários dos pacientes e dos registros de monitoramento.

O tempo médio de uso dos pacientes foi de 10,67 +- 3,93 horas, inferior às 15 horas prescritas pelo ortodontista, sem diferença entre os dois aparelhos (P >0,05). A taxa de uso regular, que incluiu os dias com tempo de uso de 8 horas ou mais por dia, foi de 75%. Os níveis de conformidade diminuíram 35% ao longo das seis consultas de controle. Os pacientes declararam que seu tempo de uso foi superior ao tempo objetivo de uso em uma média de 3,76 horas.

Os autores concluíram que apesar de seus designs diferentes, não houve diferença significativa entre os aparelhos monobloco e twin-block em termos de conformidade.


Link do artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/6/749/468291/Comparison-of-objective-wear-time-between


segunda-feira, 8 de novembro de 2021

Impacto da extração precoce do canino decíduo na diminuição do apinhamento severo: Influencia intervenções ortodônticas posteriores?

 



Neste artigo de 2021, publicado no Angle Orthodontist, pelos autores Mhanna A. Aljabab; Muteb Algharbi; Jan Huggare; Farhan Bazargani. Orthodontic and Pediatric Section, Dental Department, King Fahad Medical City, Riyadh, Saudi Arabia; and Division of Orthodontics, Department of Dental Medicine, Karolinska Institute, Stockholm, Sweden. Department of Preventive Den- tistry, College of Dentistry, University of Hail, Hail, Saudi Arabia; and Orthodontic Department, Postgraduate Dental Education, Center, Orebro, Sweden. Division of Orthodontics, Department of Dental Medicine, Karolinska Institute, Stockholm, Sweden. Orthodontic Department, Postgraduate Dental Education Center; and School of Medical Sciences, Faculty of Medicine and Health, Orebro University, Orebro, Sweden. Teve o objetivo de avaliar se havia alguma diferença na necessidade de tratamento ortodôntico, complexidade do tratamento, tempo de tratamento ou o número de visitas entre um grupo de crianças que receberam intervenção precoce (extração de caninos decíduos superiores e inferiores) e um grupo de controle de idade e condição correspondente sem intervenção.

Registros de pacientes e modelos de estudo na dentição mista tardia ou permanente inicial de 46 indivíduos (20 do grupo de extração e 26 do grupo de controle) de um estudo longitudinal prospectivo anterior foram recuperados. A necessidade e a complexidade do tratamento ortodôntico foram avaliadas pelo índice de complexidade, resultado e necessidade (ICON). Os cálculos estatísticos foram realizados por teste t para variáveis de resultado paramétrico (tempo de tratamento, número de visitas e necessidade de tratamento ortodôntico) e teste exato de Fisher para a variável categórica (extrações dentárias).

Não houve diferenças estatisticamente significativas entre os grupos nas pontuações do ICON de necessidade de tratamento ortodôntico (grupo de extração, pontuação média de 59,8; grupo de controle, pontuação média de 52,8), número de visitas (média de cerca de 15 visitas para ambos os grupos) ou tempo de tratamento ( grupo extração, média de 21,5 meses; grupo controle, média de 20,3 meses). A extração de dentes permanentes foi mais prevalente no grupo extração de caninos decíduos (59%) em comparação com o grupo controle (28%); no entanto, isso não foi estatisticamente significativo (P = .07), mas mostrou uma tendência de agravamento do apinhamento e da necessidade futura de extrações ortodônticas.

Os autores concluíram que a remoção precoce de caninos decíduos não reduzirá a necessidade de tratamento ortodôntico posterior, nem sua complexidade, nem diminuirá o tempo de tratamento.


Link do artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/6/743/465479/Impact-of-early-extraction-of-the-deciduous-canine


segunda-feira, 1 de novembro de 2021

Diferenças na morfologia do côndilo mandibular e da fossa glenóide em relação aos padrões esqueléticos verticais e sagitais: Um estudo com tomografia computadorizada de feixe cônico

 




Neste artigo de 2021, publicado no The Korean Journal of Orthodontics, pelos autores Kyoung Jin NohHyoung-Seon Baik,  Sang-Sun HanWoowon JangYoon Jeong Choi. Department of Orthodontics, The Institute of Craniofacial Deformity, Yonsei University College of Dentistry, Seoul, Korea e do Department of Oral and Maxillofacial Radiology, Yonsei University College of Dentistry, Seoul, Korea. Teve como objetivo avaliar a seguinte hipótese nula: não há diferenças na morfologia das estruturas da articulação temporomandibular (ATM) em relação aos padrões cefalométricos verticais e sagitais.

O estudo retrospectivo foi realizado com 131 participantes sem sintomas de ATM. Os participantes foram divididos em grupos de Classe I, II e III com base em suas relações cefalométricas sagitais e em grupos hiperdivergente, normodivergente e hipodivergente com base em suas relações cefalométricas verticais. As seguintes medidas foram realizadas usando imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico e comparadas entre os grupos: volume condilar, tamanho do côndilo (largura, comprimento e altura), tamanho da fossa (comprimento e altura) e espaços articulares côndilo-fossa no pólos condilares anterior, superior e posterior.

A hipótese nula foi rejeitada. O grupo Classe III apresentou maiores valores para largura condilar, altura condilar e altura da fossa do que o grupo Classe II (p <0,05). O volume condilar e o espaço articular superior no grupo hiperdivergente foram significativamente menores do que nos outros dois grupos verticais (p <0,001), enquanto o comprimento e a altura da fossa foram significativamente maiores no grupo hiperdivergente do que nos outros grupos (p <0,01). O grupo hipodivergente apresentou largura condilar maior do que o grupo hipodivergente (p <0,01). Os padrões cefalométricos sagitais e verticais mostraram interações estatisticamente significativas para comprimento e altura da fossa.

Os autores concluiram que a morfologia da ATM diferiu em diversos padrões cefalométricos esqueléticos. O comprimento e a altura da fossa foram afetados pelas interações dos padrões esqueléticos vertical e sagital.


Link do artigo na integra via E-Kjo:

https://e-kjo.org/journal/view.html?uid=1937&vmd=Full