ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Avaliação da resposta do osso alveolar à retração dos incisivos superiores usando estruturas esqueléticas estáveis como referência

segunda-feira, 1 de março de 2021

Avaliação da resposta do osso alveolar à retração dos incisivos superiores usando estruturas esqueléticas estáveis como referência



 

Neste artigo de 2021, publicado na Angle Orthodontist, pelos autores Teerapat Eksriwong; Udom Thongudomporn; Do Department of Preventive Dentistry, Faculty of Dentistry, Prince of Songkla University, Hat Yai, Songkhla, Thailand. Avaliou a alteração óssea alveolar em relação à alteração da posição radicular após a retração dos incisivos superiores por meio de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC), usando estruturas esqueléticas estáveis como referência.

Um total de 17 indivíduos (idade 24,7 +- 4,4 anos) que necessitaram de retração dos incisivos superiores fizeram parte da pesquisa. Alterações ósseas alveolares vestibulares, palatinas e alterações radiculares foram avaliadas a partir de imagens de TCFC pré-retração e 3 meses pós-retração. Os planos de referência foram baseados em estruturas esqueléticas estáveis. O teste de Kruskal-Wallis e o teste dos postos sinalizados de Wilcoxon foram usados para comparar as mudanças dentro e entre os grupos, conforme apropriado. As correlações de classificação de Spearman foram usadas para identificar os parâmetros que se correlacionam com a alteração do osso alveolar. O nível de significância foi estabelecido em 0,05.

A alteração óssea alveolar vestibular após a retração dos incisivos superiores foi estatisticamente significativa (P< 0,05), e a relação remodelação óssea / movimento dentário (B / T) foi de 1: 1. No entanto, o osso palatino permaneceu inalterado (P > 0,05). A mudança na inclinação foi significativamente relacionada à mudança óssea alveolar vestibular.

Os autores concluiram que  utilizando estruturas esqueléticas estáveis como referência, a mudança no osso alveolar vestibular seguiu o movimento dentário em uma relação B / T de quase 1: 1. O osso alveolar palatino não se remodelou após a retração dos incisivos superiores. A mudança na inclinação foi associada à mudança do osso alveolar.

Link do Artigo na integra via Meridian Allenpress:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/1/30/443504/Alveolar-bone-response-to-maxillary-incisor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe !