ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: 2021

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Avaliação quantitativa por tomografia computadorizada de feixe cônico de espessuras dos tecidos duros e moles na região da sutura palatina mediana para facilitar a colocação de mini-implantes ortodônticos

 




Neste artigo de 2021, publicado no The Korean Journal of Orthodontics, pelos autores Song-Hee OhSae Rom Lee;  Jin-Young Choi;  Seong-Hun Kim;  Eui-Hwan Hwang;  Gerald Nelson. Do Department of Oral and Maxillofacial Radiology, Graduate School, Kyung Hee University, Seoul, Korea e do Department of Orthodontics, Graduate School, Kyung Hee University, Seoul, Korea. Teve o objetivo de identificar os locais mais favoráveis que otimizariam a estabilidade inicial e a taxa de sobrevivência dos mini-implantes ortodônticos, o estudo mediu as espessuras dos tecidos duros e moles nas regiões mediana e paramediana do palato usando tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) e determinou o sexo possível - e diferenças relacionadas à idade nessas espessuras.

A amostra do estudo foi composta por imagens de TCFC de 189 indivíduos saudáveis. A amostra foi dividida em quatro grupos de acordo com a idade. Uma área de grade foi definida para a medição da espessura dos tecidos duros e moles do palato. As linhas verticais foram marcadas em intervalos de 0, 1,5 e 3,0 mm laterais à sutura palatina mediana, enquanto as linhas horizontais foram marcadas em intervalos de 2 mm até 24 mm da margem posterior do forame incisivo. As medições foram feitas em 65 pontos de intersecção entre as linhas horizontais e verticais.

A espessura do tecido duro palatino diminuiu da região anterior para posterior, com diminuição na direção medial para lateral nas regiões média e posterior. Embora o tecido mole seja bastante espesso ao redor das faces laterais do arco palatino, ele formou uma camada constante com apenas 1–2 mm de espessura em todo o palato. Diferenças estatisticamente significativas foram observadas de acordo com sexo e idade.

Os autores concluíram que tanto o palato ântero-lateral quanto a sutura palatina mediana parecem ser os locais mais favoráveis para a inserção de mini-implantes ortodônticos. A espessura do palato difere por idade e sexo; essas diferenças devem ser consideradas no planejamento da colocação de mini-implantes ortodônticos.

Link do artigo na integra via E-KJO:

https://e-kjo.org/journal/view.html?doi=10.4041/kjod.2021.51.4.260

terça-feira, 24 de agosto de 2021

Avaliação tridimensional do tecido mole após expansão rápida da maxila e por distração osteogênica da porção média da região mandibular

 





Neste artigo de 2021, Publicado pela Angle Orthodontist, os Autores Seyit Ahmet Ozturk; Sıddık Malkoc ̧; Umit Yolcu; Zehra Ileri; Ozge Celik Gule. Do Department of Orthodontics, Meridyen Ora Health Center, Private Practice, Istanbul, Turkey; Department of Oral and Maxillofacial Surgery, Faculty of Dentistry, Ankara Yıldırım Beyazıt University, Ankara, Turkey; Department of Orthodontics, Faculty of Dentistry, Selcuk University, Konya, Turkey e do Department of Orthodontics, Faculty of Dentistry, Turkey. Çanakkale Onsekiz Mart University, Çanakkale, Turkey. Teve o objetivo de Avaliar os efeitos da expansão rápida da maxila (RME) e distração osteogênica da porção média mandibular (MMDO) nos tecidos moles faciais usando imagens tridimensionais (3D).


Um total de 20 pacientes (idade média 15,86 +- 2,17 anos) foram tratados com RME e MMDO usando distratores dentais. Fotografias tridimensionais de cada paciente foram tiradas com um sistema de estereofotogrametria no início (T0), no final do período de distração (T1) e no final do período de consolidação (T2). Todos os dados foram analisados usando um teste t de amostras dependentes com um nível de significância de 5%.


A altura facial total e inferior aumentou após MMDO (P < 0,05). A largura nasal e da boca aumentou após RME em comparação com a linha de base (P < 0,05). O ângulo labiomental aumentou em T1 e diminuiu em T2 (P < 0,05). Após MMDO, o ângulo de convexidade aumentou enquanto o ângulo mandibular diminuiu (P < 0,05). Os ângulos do lábio superior e inferior aumentaram após RME (P < 0,05). A distância do lábio inferior ao plano E aumentou após MMDO e diminuiu após RME (P < 0,05).


Os autores concluíram que os procedimentos de MMDO e RME fornecem uma alternativa eficiente de tratamento sem extração para deficiência maxilomandibular transversa. O MMDO pode melhorar o perfil do tecido mole facial nos eixos transverso e vertical da região mandibular.


Link do artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/5/634/464592/Three-dimensional-soft-tissue-evaluation-after

terça-feira, 17 de agosto de 2021

Limite esquelético anatômico mandibular posterior para distalização de molar em pacientes com má oclusão de Classe III com diferentes padrões faciais verticais

 




Neste artigo de 2021, publicado no The Korean Journal of Orthodontics, pelos autores Sung-Ho Kim; Kyung-Suk Cha; Jin-Woo Lee e Sang-Min Lee. Do Department of Orthodontics, Dankook University College of Dentistry, Cheonan, Korea; Teve o objetivo  de  comparar as diferenças nas distâncias do limite anatômico posterior mandibular (MPAL) estratificadas por padrões verticais em pacientes com má oclusão de Classe III esquelética por meio de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC).

Imagens de TCFC de 48 pacientes com má oclusão de Classe III esquelética (idade média, 22,8 ± 3,1 anos) categorizadas de acordo com os padrões verticais (hipodivergente, normodivergente e hiperdivergente; n = 16 por grupo) foram analisadas. Embora paralelas à linha oclusal posterior, as distâncias lineares mais curtas da raiz distal do segundo molar inferior ao córtex interno do corpo da mandíbula foram medidas em profundidades de 4, 6 e 8 mm da junção amelocementária. As distâncias MPAL foram comparadas entre os três grupos e suas correlações foram analisadas.

As médias de idade, distribuição de sexo, assimetria e alinhamentos nos três grupos não mostraram diferenças significativas. A distância MPAL foi significativamente maior no sexo masculino (3,8 ± 2,6 mm) do que no feminino (1,8 ± 1,2 mm) no nível da raiz de 8 mm. Em todos os níveis de raiz, as distâncias MPAL foram significativamente diferentes nos grupos hipodivergente e hiperdivergente (p <0,001) e entre os grupos normodivergente e hiperdivergente (p <0,01). As distâncias MPAL foram as mais curtas no grupo hiperdivergente. O ângulo do plano mandibular correlacionou-se fortemente com as distâncias MPAL em todos os níveis da raiz (p <0,01).

Os autores concluíram que as distâncias MPAL foram as mais curtas em pacientes com padrões hiperdivergentes e mostraram uma tendência decrescente com o aumento do ângulo do plano mandibular. As distâncias MPAL foram significativamente mais curtas (~ 3,16 mm) ao nível da raiz de 8 mm.

Link do artigo na integra via E-KJO:

https://e-kjo.org/journal/view.html?uid=1951&vmd=Full


terça-feira, 10 de agosto de 2021

Efeitos a longo prazo da expansão rápida do palato assistida por miniparafuso nas vias aéreas: Um estudo tridimensional de tomografia computadorizada de feixe cônico

 









Neste artigo de 2021, publicado pela Angle Orthodontist, pelos autores Shivam Mehta; Dennis Wang; Chia-Ling Kuo; Jinjian Mu; Manuel Lagravere Vich; Veerasathpurush Allareddy; Aditya Tadinada; Sumit Yadav. Da Division of Orthodontics, University of Connecticut Health, Farmington, Conn, USA; Convergence Institute of Translation in Regenerative Engineering, University of Connecticut Health, Farmington, Conn, USA; School of Dentistry, University of Alberta, Edmonton, Canada; Department of Orthodontics, University of Illinois, Chicago, Ill, USA; Division of Oral and Maxillofacial Radiology, University of Connecticut Health, Farmington, Conn, USA e Division of Orthodontics, University of Connecticut Health, Farmington, Conn, USA. Avaliou os efeitos de longo prazo nas vias aéreas em pacientes submetidos a expansão palatina rápida assistida por mini-parafuso (MARPE), expansão palatina rápida (RPE) e controles com análise de tomografia computadorizada de feixe cônico tridimensional (TCFC).

Um total de 180 TCFCs de 60 pacientes foram analisadas em diferentes momentos, como pré-tratamento, pós-expansão e pós-tratamento. Os pacientes foram divididos em três grupos: expansão rápida palatina assistida por mini-parafuso (MARPE), expansão rápida palatina (RPE) e controles. Foram medidos o volume e a área da cavidade nasal, nasofaringe, orofaringe e laringofaringe. Alterações no volume total das vias aéreas, área total das vias aéreas, área transversal mínima, largura intermolares maxilares, largura maxilar externa e largura palatina também foram avaliadas.

Ambos MARPE e RPE causaram um aumento estatisticamente significativo nas vias aéreas após a expansão em comparação com o grupo de controle, mas não houve diferença estatisticamente significativa na mudança nas vias aéreas entre MARPE, RPE e o grupo controle no pós-tratamento, exceto para o volume nasofaríngeo, que aumentou significativamente no grupo MARPE. Não houve correlação entre a quantidade de expansão e o aumento no volume total das vias aéreas.

Os autores concluíram que houve um aumento significativo no volume total das vias aéreas, área total das vias aéreas e área transversal mínima com MARPE e RPE imediatamente após a expansão, mas no pós-tratamento, as mudanças nos grupos MARPE e RPE foram semelhantes à mudança no grupo controle. No entanto, MARPE levou a um aumento significativo a longo prazo no volume nasofaríngeo. A quantidade de expansão não se correlacionou com o aumento do volume das vias aéreas faríngeas.

Link do artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/2/195/449557/Long-term-effects-of-mini-screw-assisted-rapid



quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Historia da Ortodontia - Livro do Professor Wilhelm Pfaff - Parte 3



Dando continuidade, mostraremos um pouco do belo trabalho realizado pelo Professor Alemão, Dr. Heinrich Wilhelm Pfaff, Médico e Ortodontista, seu livro publicado em 1906: "Lehrbuch der orthodontie fur studierende und zahnartze mit enschluss der geschichte der orthodontie"


Dr. Wilhelm Pafaff, nasceu na cidade de Runzhausen em 1870 e veio a falecer na cidade de Leipzig em 1942, cidade que de 1908 a 1936, foi Professor de Odontologia da Faculdade de Medicina da Universidade lá instalada. Foi o primeiro palestrante em ortodontia, ele logo conseguiu introduzir a Ortodontia como disciplina obrigatória da educação odontológica na Universidade. Lançou as bases para o desenvolvimento de uma ortodontia orientada cientificamente num departamento independente. Em 2008, este celebre ortodontista alemão foi homenageado pelo 100 º aniversário da cadeira de Ortodontia, em Leipzig. 

Mais um belo legado deixado pela Ortodontia Européia  em prol do crescimento da Ortodontia Mundial, aproveitem e vamos aprendendo com estes grandes nomes ....


Disjunção maxilar associada ao tratamento combinado com a tração extra-bucal. Casos em que a alteração dentaria repercute na harmonia facial... 



Recuperação de espaço e tracionamento de caninos, varios recursos biomecânicos, como um utilizando a aparatologia ortodontica com forças assimétricas ...



E não podia faltar: HISTORIA DA ORTODONTIA ...




Link da Universidade de Leipzing, com algumas referencias sobre o Dr. Wilhelm Pafaff:

Historia da Ortodontia - Livro do Professor Wilhelm Pfaff - Parte 2


Dando continuidade, mostraremos um pouco do belo trabalho realizado pelo Professor Alemão, Dr. Heinrich Wilhelm Pfaff, Médico e Ortodontista, seu livro publicado em 1906: "Lehrbuch der orthodontie fur studierende und zahnartze mit enschluss der geschichte der orthodontie"


Dr. Wilhelm Pafaff, nasceu na cidade de Runzhausen em 1870 e veio a falecer na cidade de Leipzig em 1942, cidade que de 1908 a 1936, foi Professor de Odontologia da Faculdade de Medicina da Universidade lá instalada. Foi o primeiro palestrante em ortodontia, ele logo conseguiu introduzir a Ortodontia como disciplina obrigatória da educação odontológica na Universidade. Lançou as bases para o desenvolvimento de uma ortodontia orientada cientificamente num departamento independente. Em 2008, este celebre ortodontista alemão foi homenageado pelo 100 º aniversário da cadeira de Ortodontia, em Leipzig. 

Mais um belo legado deixado pela Ortodontia Européia  em prol do crescimento da Ortodontia Mundial, aproveitem e vamos aprendendo com estes grandes nomes ....


Descrição das diversas má oclusões, em modelos com setas referenciais ...



Protocolos elaborados para confecção de aparelhos, com todo o instrumental e seqüência de montagem, e aparelhos descritos detalhadamente como disjuntores maxilares e arcos linguais ....



Descrição de tratamentos "híbridos", associando a disjunção maxilar e expansão do arco mandibular com o alinhamento dentário ...



Descrição de um expansor maxilar removível e de um acessório ortodontico, concebido para movimento de rotação, giro e binário. Bem interessante, para um período que ainda não se tinha acesso aos braquetes que posteriormente vieram facilitar muitas situações com uma biomecânica elaborada e simplificada ...




Link da Universidade de Leipzing, com algumas referências sobre o Dr. Wilhelm Pafaff:

Historia da Ortodontia - Livro do Professor Wilhelm Pfaff - Parte 1



Esta semana, mostraremos um pouco do belo trabalho realizado pelo Professor Alemão, Dr. Heinrich Wilhelm Pfaff, Médico e Ortodontista, seu livro publicado em 1906: "Lehrbuch der orthodontie fur studierende und zahnartze mit enschluss der geschichte der orthodontie"

Dr. Wilhelm Pafaff, nasceu na cidade de Runzhausen em 1870 e veio a falecer na cidade de Leipzig em 1942, cidade que de 1908 a 1936, foi Professor de Odontologia da Faculdade de Medicina da Universidade lá instalada. Foi o primeiro palestrante em ortodontia, ele logo conseguiu introduzir a Ortodontia como disciplina obrigatória da educação odontológica na Universidade. Lançou as bases para o desenvolvimento de uma ortodontia orientada cientificamente num departamento independente. Em 2008, este celebre ortodontista alemão foi homenageado pelo 100 º aniversário da cadeira de Ortodontia, em Leipzig. 

Mais um belo legado deixado pela Ortodontia Européia  em prol do crescimento da Ortodontia Mundial, aproveitem e vamos aprendendo com estes grandes nomes ....



Odontogênese, e o desenvolvimento da má oclusão com ilustrações feitas de forma impecável ...



Analise das proporções cefalométricas e craniométricas, em diversos tipos faciais e seus padrões verticais e sagitais ....



Em 1906, já existia uma preocupação com a avaliação e analise facial, alguns destes elementos utilizados até os dias de hoje. Inclusive uma "escala" realizada com faces em diversos estágios de crescimento ...



Link da Universidade de Leipzing, com algumas referencias sobre o Dr. Wilhelm Pafaff:

terça-feira, 3 de agosto de 2021

Novos métodos tridimensionais para analisar a morfologia da cavidade nasal e das vias aéreas faríngeas

 






Neste artigo de 2021, publicado na Angle Orthodontist pelos autores Xiaowen Niu; Sivaranjani Madhan; Marie A. Cornelis; Paolo M. Cattaneo. Da Section of Orthodontics, Department of Dentistry and Oral Health, Health, Aarhus University, Aarhus, Denmark. Melbourne Dental School, Faculty of Medicine, Dentistry and Health Sciences, University of Melbourne, Melbourne, Australia. Avaliou a confiabilidade intra examinador e inter examinador de novos métodos semi automáticos para segmentar a cavidade nasal (NC) e as vias aéreas faríngeas (AP) e determinar a área transversal mínima (SC) e o diâmetro hidráulico (HD) do AP.

Para testar a reprodutibilidade, dois examinadores analisaram o NC e o AP independentemente em 10 imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) selecionadas retrospectivamente usando segmentação semiautomática. A linha central AP foi determinada para avaliar o SC e HD mínimos. O coeficiente de correlação intraclasse (ICC) foi usado para calcular a confiabilidade intraexaminador e interexaminador. Os erros de medição foram avaliados pela fórmula de Dahlberg e testes t emparelhados. O nível de concordância foi avaliado pelo método de Bland-Altman.

As confiabilidades intra examinador e inter examinador foram excelentes (ICC mínimo, 0,960). O erro do método foi bom, exceto para os valores inter examinadores para a orofaringe (P = .016). As medidas mínimas de CS e HD foram confiáveis (ICC mínimo, 0,993; limites estreitos de concordância).

Os autores concluíram que os novos métodos de análise do NC e AP são confiáveis. O SC e HD mínimos demonstraram confiabilidade excelente, que é crítica para detectar a parte mais restrita do AP. A separação da orofaringe dos vazios próximos à área retroglossal não é trivial e deve ser considerada com cautela.

Link do artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/3/320/451995/Novel-three-dimensional-methods-to-analyze-the


sexta-feira, 30 de julho de 2021

Ortodontia mundial em Luto - Perdemos o Professor Dr. Guilherme Janson (1958-2021)

 


Com muito pesar e tristeza,  perdemos precocemente o Professor Dr. Guilherme dos Reis Pereira Janson no dia 30/07/2021. Aos 62 anos de idade.


Com mais de 400 trabalhos publicados em importantes periódicos da especialidade. Diversas pesquisas que impactaram a vida clinica de Ortodontistas Brasileiros e estrangeiros  na prática diária.  


O Professor possuía graduação em Odontologia pela Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (1980), mestrado em Ortodontia pela Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (1983) e doutorado em Ortodontia pela Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (1985). Realizou Pós-Doutorado no Departamento de Ortodontia da Faculdade de Odontologia da Universidade de Toronto de 1990 a 1991.  Member of the Royal College of Dentists of Canadá. aQue sempre elevou o prestígio da Ortodontia brasileira nos diversos centros de formação e pesquisa do exterior e nacionais.


A revista American Journal of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics traz em sua edição do mês de novembro de 2019 a classificação dos pesquisadores mais citados mundialmente na área da Ortodontia, onde se destacou na vice-liderança deste ranking. Onde o levantamento buscou avaliar todos os artigos de revistas de Ortodontia que estavam incluídas no Journal Citation Reports de 2016, publicados entre 2007 e 2017. Os resultados fazeram parte do estudo “Current trends in Orthodontic Journals listed in Journal Citation Reports. A bibliometric study” (“Tendências atuais das revistas de Ortodontia listadas no Journal Citation Reports. Um estudo bibliométrico”). 






 

 

 

 

terça-feira, 27 de julho de 2021

Eficácia dos alinhadores Invisalign® no tratamento de recessão gengival grave: relato de caso

 











Neste artigo de 2021, publicado The Korean Journal of Orthodontics, pelos autores Marcio Antonio de Figueiredo, Fábio Lourenço Romano, Murilo Fernando Neuppmann Feres, Maria Bernadete Sasso Stuani, Ana Carla Raphaelli Nahás-Scocate, Mírian Aiko Nakane Matsumoto. Do Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Sao Paulo, Brazil e do Department of Orthodontics, School of Dentistry, Guarulhos University (UNG), Sao Paulo, Brazil. Foi demonstrada a eficácia do sistema Invisalign® no tratamento de uma recessão gengival grave e deiscência óssea por meio de torque, translação e movimentos de intrusão em uma mulher jovem.

A tomografia computadorizada de feixe cônico foi utilizada para avaliar os parâmetros ósseos e verificar os dentes durante o tratamento. A raiz do incisivo central inferior direito, que estava posicionada vestibularmente e exibia deiscência óssea de 9,4 mm, foi deslocada em direção ao centro do processo alveolar com o sistema Invisalign® e recursos SmartForce®. O paciente foi monitorado por um periodontista durante todo o período de tratamento ortodôntico.

A recessão gengival diminuiu, enquanto a deiscência óssea diminuiu de 9,40 mm para 3,14 mm. Assim, a movimentação da raiz para o alvéolo promoveu a neoformação óssea e tratou a recessão gengival. Os achados deste caso sugerem que o tratamento ortodôntico com o sistema Invisalign®, junto com o monitoramento periodontal, pode auxiliar no tratamento da recessão gengival e defeitos alveolares.


Link do artigo na Integra via KJO:

https://e-kjo.org/journal/view.html?uid=1953&vmd=Full#N/A

terça-feira, 20 de julho de 2021

Proximidade da raiz com os miniparafusos de ancoragem de miniplacas ortodônticos na área dos incisivos inferiores: Uma análise com tomografia computadorizada de feixe cônico

 





Neste artigo de 2021, publicado no The Koran Journal of Orthodontics, pelos Autores Do-Min JeongSong Hee Oh; HyeRan Choo; Yong-Suk Choi; Seong-Hun Kim; Jin-Suk Lee; Eui-Hwan Hwang. Do Department of Oral and Maxillofacial Radiology, Graduate School, Kyung Hee University, Seoul, Korea; Department of Surgery, Division of Plastic and Reconstructive Surgery, Craniofacial and Airway Orthodontic Clinic, Stanford University School of Medicine, Lucile Packard Children’s Hospital, Palo Alto, CA, USA; Department of Orthodontics, Graduate School, Kyung Hee University, Seoul, Korea e do Department of Dental Education, Graduate School, Kyung Hee University, Seoul, Korea. Realizaram  um estudo de análise de resultados que avaliou as posições reais da miniplaca ortodôntica e dos parafusos de ancoragem da miniplaca (MPASs) e os fatores de risco que afetam as estruturas anatômicas adjacentes após a colocação da miniplaca na área de incisivos inferiores.

Imagens de tomografias computadorizadas de feixe cônico de 97 miniplacas ortodônticas e seus 194 MPASs (diâmetro, 1,5 mm; comprimento, 4 mm) em pacientes cujas miniplacas forneceram estabilidade clínica suficiente para o tratamento ortodôntico foram revisadas retrospectivamente. Para avaliar as posições reais das miniplacas e analisar os fatores de risco, incluindo os efeitos nas raízes adjacentes, altura de colocação do MPAS (PH), profundidade de colocação (PD), ângulo da placa (PA), ângulo da fossa mental (MA) e proximidade da raiz foram avaliados usando o teste t pareado, análise de variância e modelo linear generalizado e análises de regressão.

Os PDs médios dos MPASs nas posições 1 (P1) e 2 (P2) foram 2,01 mm e 2,23 mm, respectivamente. PA foi significativamente maior no grupo com má oclusão de Classe III do que nos outros grupos. PH foi positivamente correlacionado com MA e PD em P1. Das 97 MPASs em P1, 49 estavam na área sem raiz e 48 na área denteada; além disso, 19 apresentaram grau de contato radicular (19,6%) sem perfuração radicular. Todos os MPASs em P2 estavam na área sem raiz.

Os Autores concluíram que posicionar a cabeça da miniplaca aproximadamente 1 mm abaixo da junção mucogengival provavelmente fornecerá PH suficiente para que os P1-MPASs sejam colocados na área sem raiz.

Link do artigo na integra via KJO:

http://new.kjo.or.kr/journal/view.html?doi=10.4041/kjod.2021.51.4.231#n

terça-feira, 13 de julho de 2021

Comparação da retração canina usando molas helicoidais fechadas de NiTi vs cadeias elastoméricas: Um ensaio clínico randomizado controlado com boca dividida

 





Neste artigo de 2021, publicado na Angle Orthodontist, pelos Autores Haya A. Barsoum; Hend S. ElSayed; Fouad A. El Sharaby; Juan Martin Palomo; Yehya A. Mostafa. Do Department of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics, Faculty of Dentistry, Future University in Egypt, Cairo, Egypt; Department of Epidemiology & Health Promotion, College of Dentistry, New York University, New York, NY, USA; Department of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics, Faculty of Dentistry, Cairo University, Cairo, Egyp; Case West- ern Reserve University School of Dental Medicine, Cleveland, OH, USA. Teve o objetivo de Comparar a retração canina usando molas fechadas de NiTi vs cadeias elastoméricas de forma abrangente em um estudo randomizado controlado de boca dividida. 

Os caninos em 64 quadrantes foram retraídos aleatoriamente para os espaços de extração dos primeiros pré-molares usando molas fechadas de NiTi ou cadeias elastoméricas, na maxila e na mandíbula. A força de retração foi de 150 gr. A tomografia computadorizada de feixe cônico e os modelos de estudo foram obtidos antes do início da retração canina e 6 meses depois. A taxa e a quantidade total de retração canina, rotação, inclinação e reabsorção radicular foram avaliadas. Uma escala visual analógica foi usada para avaliar a experiência de dor dos pacientes.

Os dois métodos foram estatisticamente semelhantes para alterações dentárias, taxa de retração canina e reabsorção radicular. No entanto, os pacientes relataram significativamente mais dias de dor com a cadeia elastomérica em comparação com as molas fechadas de NiTi.

Os Autores concluiram que dentro das restrições do estudo, o uso de molas helicoidais fechadas de NiTi ou cadeias de elastômero como sistemas de  força para a retração canina não resulta em diferença significativa na taxa de retração canina, inclinação, rotação ou reabsorção radicular. A experiência de dor durante a retração usando cadeias elastoméricas é mais significativa, mas precisa de mais investigação.

Link do Artigo na Integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/4/441/461450/Comprehensive-comparison-of-canine-retraction


segunda-feira, 5 de abril de 2021

Distalização total do arco maxilar usando aparelho extra-oral em paciente adulto: Reconsiderando a estratégia tradicional na ortodontia modernos

 


Neste artigo de 2021, publicado na Angle Orthodontist, pelos Autores Chenshuang Li; Luca Sfogliano; Wenlu Jiang; Haofu Lee; Zhong Zheng; Chun-Hsi Chung; John Jones. Do Department of Orthodontics, School of Dental Medicine, University of Pennsylvania, Philadelphia, Penn. Division of Growth and Development, Section of Orthodontics, School of Dentistry, University of California, Los Angeles, Los Angeles, Calif. Mostra um relato de caso tratado com aparelho extra-oral e acompanhado a longo prazo.

Embora o aparelho extra-oral seja raramente usado em pacientes adultos, seu uso em adultos é principalmente para controle de ancoragem. No presente relato de caso, um paciente de 24 anos tinha uma relação esquelética de Classe I com tendência de Classe II, padrão braquifacial, assimetria facial significativa e relações dentais de Classe II com molares e caninos 3/4 cúspides de Classe II em ambos os lados. 

O paciente recusou a cirurgia e a assimetria facial não era sua preocupação. O objetivo final do tratamento era alcançar uma relação dentária estável de Classe I e oclusão normal sem comprometer significativamente o perfil do paciente. O paciente aderiu ao uso de aparelho extra-oral de tração cervical após recusar as opções de tratamento combinado ortodôntico-ortognático, extração de pré-molares superiores ou mini-implantes de ancoragem esquelética temporária.

Um movimento distal do arco superior de 5 mm foi realizado sem inclinação distal significativa das coroas dos molares. A duração do tratamento ativo foi de 31 meses. Overbite e overjet adequados, oclusão equilibrada e um perfil facial aceitável foram alcançados. 

Os resultados do tratamento inspiram a reconsideração da possibilidade do uso de arnês na correção da Classe II dentária em pacientes adultos.

Link do artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/91/2/267/446960/Total-maxillary-arch-distalization-by-using

segunda-feira, 29 de março de 2021

Relação entre o deslocamento rotacional do disco da articulação temporomandibular e a morfologia dentoesquelética

 



Neste artigo de 2021, publicado no The Korean Journal of Orthodontics, pelos Autores So-Hyun Park; Won-Jeong Han;  Dong-Hwa Chung; Jung-Sub An;  Sug-Joon Ahn. Do Department of Orthodontics, Dankook University Jukjeon Dental Hospital, Yongin, Korea; Department of Oral and Maxillofacial Radiology, College of Dentistry, Dankook University, Cheonan, Korea; Department of Orthodontics, College of Dentistry, Dankook University, Cheonan, Korea; Department of Orthodontics, Seoul National University Dental Hospital, Seoul, Korea e Dental Research Institute and Department of Orthodontics, School of Dentistry, Seoul National University, Seoul, Korea. Teve o  objetivo de  avaliar a relação entre o deslocamento rotacional do disco  (DD) da articulação temporomandibular (ATM) e a morfologia dentoesquelética.

Mulheres com idade maior que17 anos foram incluídas neste estudo. Cada paciente tinha uma queixa primária de má oclusão e foram submetidas a exames cefalométricos de rotina. Elas foram divididas em cinco grupos de acordo com os achados nas imagens de ressonância magnética sagital e coronal de suas ATMs: posição de disco normal bilateral, DD anterior bilateral com redução (ADDR), DD rotacional bilateral com redução (RDDR), DD anterior bilateral sem redução (ADDNR) e DD rotacional bilateral sem redução (RDDNR). Vinte e três variáveis cefalométricas foram analisadas e o teste de Kruskal-Wallis foi usado para avaliar diferenças na morfologia dentoesquelética entre os cinco grupos.

Os pacientes com DD das ATMs  exibiram um padrão hiperdivergente com uma mandíbula retrognata, ao contrário daqueles com uma posição de disco normal. Essas características esqueléticas específicas foram mais severas em pacientes que exibiam DD sem redução do que naqueles com redução, independentemente da presença de DD rotacional. A DD rotacional influenciou significativamente nos padrões esqueléticos horizontais e verticais apenas na fase de DD com redução, e a mandíbula exibiu uma posição mais para trás e rotacionada nos  pacientes com RDDR do que naqueles com ADDR. No entanto, não houveram diferenças dentoesqueléticas significativas entre ADDNR e RDDNR.

Os autores concluíram que os resultados do estudo sugeriram que a DD rotacional da ATM tem um papel importante na morfologia dentoesquelética, principalmente em pacientes que apresentam DD com redução.

Link do Artigo na integra via e-KJO:

https://e-kjo.org/journal/view.html?uid=1962&vmd=Full

segunda-feira, 22 de março de 2021

Tratamento da Classe II utilizando aparelho com sistema de mini-implantes palatino: Um relato de caso

 










Neste artigo de 2020, publicado pela Angle Orthodontist, pelos Autores Luca Lombardo; Giulia Occhiuto; Emanuele Paoletto; Bortolo Giuliano Maino; Giuseppe Siciliani. Do Department of Orthodontics, Postgraduate School of Orthodontics, University of Ferrara, Ferrara, Italy.  Department of Orthodontics, Postgraduate School of Orthodontics, University of Ferrara, Ferrara, Italy. Mostra a concepção e utilização de um aparelho ancorado em mini-implantes.


Este relato de caso mostra o uso de um expansor palatino rápido (EPR) e, em seguida, um aparelho pêndulo ancorado em mini-implantes palatino, como uma opção para melhorar a gestão do tratamento em um paciente não colaborador, que requer expansão maxilar e distalização molar na dentição mista tardia. 

Primeiro, um EPR foi usado para expandir o arco superior. Em seguida, um aparelho pêndulo modificado foi usado para distalizar os primeiros molares permanentes superiores. O posicionamento ideal de dois mini-implantes palatinos permitiu que ambos os aparelhos fossem suportados por ancoragem esquelética.

Os autores relataram que o  tratamento foi finalizado com aparelhos fixos multibraquetes, e após 2 anos, as relações caninas e molares de Classe I esquelética e dentária  foram alcançadas.

Link do Artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/90/2/305/10021/Class-II-treatment-by-palatal-miniscrew-system