ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Dezembro 2020

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

Contenção lingual inovadora de níquel-titânio personalizada por CAD / CAM versus contenção lingual padrão de aço inoxidável: um ensaio controlado randomizado

 



Neste artigo de 2020, publicado pelo The Korean Journal of Orthodontics, pelos autores Emilie Gelin; Laurence Seidel; Annick Bruwier; Adelin Albert; Carole Charavet. Do Department of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics, University Hospital of Liège, Liège, Belgium e do Department of Biostatistics and Medico-economic Information, University Hospital of Liège, University of Liège, Liège, Belgium. Compara as contenções de nitinol personalizadas em projetos auxiliado por computador e manufatura auxiliada por computador (CAD / CAM) com contenções fixas de aço inoxidável padrão durante um período do estudo de 12 meses.

O ensaio clínico randomizado (RCT) foi conduzido em 62 pacientes alocados aleatoriamente em um grupo controle que utlizaram contenções de aço inoxidável ou no grupo de teste que receberam contenções de níquel-titânio personalizados por  CAD / CAM. Quatro momentos foram definidos: colocação da contenção (T0) e consultas de acompanhamento de 1 mês (T1), 6 meses (T2) e 12 meses (T3). Em cada ponto de tempo, o índice de irregularidade de Little (LII) (desfecho primário) e as medições de estabilidade dentária, como largura intercaninos, foram registrados, além da avaliação dos parâmetros periodontais. Medidas radiológicas como o ângulo dos incisivos com plano mandibular  (IMPA) foram registradas em T0 e T3. Os eventos de falha (integridade do fio ou descolamento) foram avaliados em cada momento.

De T0 a T3, o LII e outras medidas dentarias não mostraram diferenças significativas entre os dois grupos. Os dados dos parâmetros periodontais permaneceram estáveis durante o período de estudo, exceto para o índice gengival, que foi leve, mas significativamente, maior no grupo teste em T3 (p = 0,039). O ângulo IMPA não apresentou diferença intergrupos. Os dois grupos não mostraram diferenças significativas nos eventos de descolamento.

Os autores concluiram que no RCT conduzido por um período de 12 meses não foi demonstrado nenhuma diferença significativa entre as contenções linguais de níquel-titânio personalizadas por CAD / CAM e contenções linguais padrão de aço inoxidável em termos de estabilidade dentária anterior e estabilidade de fixação da contenção. Ambas as contenções parecem ser igualmente eficazes na manutenção da saúde periodontal.

Link do artigo na integra via KJO:

http://new.kjo.or.kr/journal/view.html?doi=10.4041/kjod.2020.50.6.373


segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Mecanocomportamento e comprimento do ramo mandibular em diferentes fenótipos faciais

 




Neste artigo de 2020, publicado na Angle Orthodontist, pelos autores Paige Covington Riddle; Jeffrey C. Nickel; Ying Liu; Yoly M. Gonzalez; Luigi M. Gallo; R. Scott Conley; Robert Dunford; Hongzeng Liu; Laura R. Iwasaki. Do Department of Orthodontics, School of Dentistry, Oregon Health & Science University, Portland, Oregon, USA; and Research Associate Professor, Department of Oral Diagnostic Sciences, University at Buffalo, School of Dental Medicine, Buffalo, New York, USA. Department of Biostatistics and Epidemiology, College of Public Health, East Tennessee State University, Johnson City, Tennessee, USA. Department of Oral Diagnostic Sciences, University at Buffalo,School of Dental Medicine, Buffalo, NewYork, USA. Physiology and Biomechanics of the Masticatory System, Dental School, Faculty of Medicine, University of Zurich, Zurich, Switzerland. University of Buffalo Microbiome Center, School of Dental Medicine, Buffalo, New York, USA e do Department of Orthodontics, School of Dentistry, Oregon Health & Science University, Portland Oregon, USA. Buscaram testar a hipótese de que os escores de mecanocomportamento (MBS) foram correlacionados com os comprimentos do ramo mandibular (Co-Go) e diferiram entre os fenótipos faciais.

Os pacientes deram consentimento informado para participar. Co-Go (mm), ângulos do plano mandibular (SN-GoGn, º) e anatomia tridimensional foram derivados de radiografia cefalométrica ou tomografia computadorizada de feixe cônico. As densidades de energia (ED) da articulação temporomandibular (TMJ) (mJ / mm3) foram medidas usando estereometria dinâmica e fatores de trabalho (DF) (%) foram medidos a partir da eletromiografia, para calcular MBS (1⁄4 ED2 3 DF, 􏰁 mJ 􏰃2% ) para cada ATM. mm3 Regressões polinomiais, análise de cluster K-médias e análise de variância (ANOVA) com testes post-hoc de Tukey foram empregadas.

Cinquenta mulheres e 23 homens produziram dados completos. As regressões polinomiais mostraram que o MBS estava correlacionado com Co-Go (mulheres, R2 1⁄4 0,57; homens, R2 1⁄4 0,81). A análise de agrupamento identificou três grupos (P< 0,001). Sujeitos dolicofaciais, com Co-Go normalizado mais curto, agrupados em dois subgrupos com MBS baixo e alto em comparação com sujeitos braquifaciais com Co-Go mais longo. SN-GoGn foi significativamente maior (P< 0,03) nos subgrupos dolicofaciais combinados (33,0 +- 5,98) em comparação com o grupo braquifacial (29,8 +- 5,58).

Os Autores concluiram que o MBS correlacionou-se com Co-Go dentro dos sexos e diferiu significativamente entre indivíduos braquifaciais e dolicofaciais.

Link do artigo na integra via Meridian:

https://meridian.allenpress.com/angle-orthodontist/article/90/6/866/443963/Mechanobehavior-and-mandibular-ramus-length-in