ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Uma comparação da precisão de imagens tridimensionais adquiridas por 2 scanners digitais intraorais: efeitos da irregularidade dentária e direção do escaneamento

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Uma comparação da precisão de imagens tridimensionais adquiridas por 2 scanners digitais intraorais: efeitos da irregularidade dentária e direção do escaneamento

 



Neste artigo de 2016, publicado no The Korean Journal of Orthodontics, pelos autores Ji-won AnhJi-Man Park; Youn-Sic ChunMiae KimMinji Kim do Department of Orthodontics, Graduate School of Clinical Dentistry, Ewha Womans University, Seoul, Korea; Department of Prosthodontics and Dental Research Institute, Seoul National University Gwanak Dental Hospital, Seoul, Korea e do Department of Pediatric Dentistry, Graduate School of Clinical Dentistry, Ewha Womans University, Seoul, Korea. Teve o objetivo de comparar a precisão de imagens tridimensionais (3D) adquiridas com os scanners digitais intraorais iTero® (Align Technology Inc., San Jose, CA, EUA) e Trios® (3Shape Dental Systems, Copenhagen, Dinamarca) , e avaliar os efeitos da gravidade das irregularidades dentárias e da sequência de digitalização na precisão.

Os modelos de arcada dentária foram confeccionados com diferentes graus de irregularidade dentária e divididos em 2 grupos com base na sequência de varredura. Para avaliar sua precisão, as imagens foram sobrepostas e um algoritmo de sobreposição otimizado foi empregado para medir qualquer desvio 3D. O teste t, o teste t pareado e ANOVA de uma via foram realizados (p <0,05) para análise estatística.

Os sistemas iTero® e Trios® não mostraram diferença estatisticamente significativa na precisão entre os modelos com diferentes graus de irregularidade dentária. No entanto, houve diferenças estatisticamente significativas na precisão dos 2 scanners quando os pontos de início da digitalização eram diferentes. O scanner iTero® (desvio médio, 29,84 ± 12,08 mm) se mostrou menos preciso do que o scanner Trios® (22,17 ± 4,47 mm).

Os autores concluiram que a precisão das imagens 3D diferia de acordo com o grau de irregularidade do dente, sequência de varredura e tipo de scanner. No entanto, do ponto de vista clínico, ambos os scanners foram altamente precisos, independentemente do grau de irregularidade do dente.

Link do artigo na integra via E-KJO:

https://e-kjo.org/journal/view.html?uid=171&vmd=Full

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe !