ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Artigo Histórico: Evolução da Ortodontia - Recentes Desenvolvimentos

terça-feira, 14 de maio de 2019

Artigo Histórico: Evolução da Ortodontia - Recentes Desenvolvimentos
















Neste artigo de 1912, publicado na Revista Dental Cosmos, pelo autor Edward H. Angle, professor da Angle School of Orthodontia. Este artigo clássico da Ortodontia mostra as evoluções na aparatolgia Ortodontica desenvolvida pelo Dr. Angle e seus colaboradores, este artigo foi apresentado após o encontro da Sociedade dos alunos da Angle School of Orthodontia em 13 de setembro de 1911. O autor num trecho do artigo já mostra a preocupação com forças leves, e embasado na celebre pesquisa do Dr. Oppenhaim.


A expanção do arco dentario foi introduzida em 1728 por um grande dentista Francês, Fauchard, ocorreram inumeras modificações, que ajudaram no progresso, outros com poucas diferenças sem progressos e outros propiciando mecânicas ortodonticas absurdas.


O princípio do arco não foi alterado, mas suas melhorias foram em direção ao seu aperfeiçoamento, de modo que  seu refinamento, determinou um maior controle, melhor distribuição da força adquirida, não apenas para a circulação de dentes mal posicionados, mas para garantir a estabilidade da fixação. O resultado tem sido extremamente positivo tanto na sua eficiência, como na diminuição consideravelmente dos seus inconvenientes para o paciente.


O arco de expansão na sua forma atual, com os seus recursos auxiliares, constitui um aparelho ortodôntico tão simples e eficaz que é quase ideal, e tem sido amplamente propagada como todas as outras formas de aparelhos para movimentação dentária. Com isso temos o mais perfeito controle da ancoragem, e muito perfeito controle da força sobre os dentes em movimento, individualmente e coletivamente, para levar as suas coroas a uma relação adequada na linha de oclusão. Não é de admirar, então, que se tornou um item de confiança dos ortodontistas e um fator muito importante para uma Ortodontia maravilhosa que iniciou no passado, a poucos anos.


O movimento do dente é feito mais facilmente, de modo mais satisfatório, e com melhores resultados quando a pressão é muito suave, ao invés de uma força muito pronunciada empregado, a alguns anos, isto veio se tornando mais e mais evidente para o autor, e a exatidão dessa crença tem agora sido abundantemente comprovado pela pesquisa recente do trabalho notável do Dr. Albin Oppenhain de Viena, em seus experimentos elaborados em movimentos dos dentes de macacos. Estes experimentos foram totalmente relatados em um ciclo de palestras do Dr. Oppehaim em uma sessão fechada, da Angle Scholl of Orthodontia, e em um artigo cientifico sobre as pesquisas que em breve será publicado neste país, e deve despertar maior interesse, especialmente entre histologistas e ortodontistas.


Os três diâmetros das secções médias são 45 de uma polegada, 38 de uma polegada, e 30 de uma polegada (0,045 ", 0,038", 0,030 "). Os arcos de diâmetros mais pesados, que é 0,045 "e 0,038" destinam-se a ser utilizado em conexão com ligaduras de fio, precisamente da mesma forma do arco padrão de expansão do arco tipo E. As seções mais pesadas médias são feitas de ambos com metais preciosos e prata, níquel, assim como também as seções com rosca.


Os pinos, os tubos e os arcos muito delicados proporcionam uma maior precisão e são feitos em máquinas especiais. Os pinos e tubos telescópicos de perto são delicados, são de tamanho uniforme, diâmetro e furo. Uma das extremidades dos pinos é feita sob a forma de um gancho, que se encaixa com precisão no bisel da extremidade do tubo quando o pino está no lugar no tubo. É da maior importância que este gancho não deva ser deformado, e assim, tornar-se infectante. 

O ortodontista deve estudar o bloqueio e desbloqueio adequado do fio, para evitar ferir-lo. A outra extremidade dos pinos tem a forma de um rabo de peixe, com um bisel de faca por conveniência de fixar o arco do pino com solda. Uma parte da parede exterior de alguns dos tubos de forma crescente o torna mais estético. Isso não é necessário, mas muitas vezes serve como uma conveniência, dando acesso ao pino para a sua dobra, sem removê-lo completamente do tubo.


Na forma mais antiga do arco de expansão, o tamanho adequado para o encaixe do arco dentário foi adquirida totalmente por meio de porcas e retificação da seção intermediária e propicia a expansão necessária da arcada dentária. A medida em que um ou outro destes dois meios de alargamento é feito quase exclusivamente através das porcas e parafusos, em outros, principalmente por endireitar as curvas na seção intermediária. Ambos os recursos para o meio de controle mais perfeito do tamanho do aparelho. O parafuso de ajuste transversal, como o parafuso de ajuste fino microscópico, será sempre mais valiosa.


Os resultados da movimentação dentária e desenvolvimento ósseo, tem sido verdadeiramente notável, são suficientes, achamos que para despertar a surpresa e grande entusiasmo na mente dos ortodontistas. Esta técnica procura simular o melhor, pois é difícil prever as possibilidades de resultados, só com o tempo para se familiarizar com o plano de tratamento e dominar a técnica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe !