ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Uso da intrusão ortodôntica de incisivos gastos para facilitar a restauração: Os efeitos da técnica no nível do osso alveolar e no comprimento da raiz

sábado, 3 de outubro de 2015

Uso da intrusão ortodôntica de incisivos gastos para facilitar a restauração: Os efeitos da técnica no nível do osso alveolar e no comprimento da raiz




Neste artigo de 2008, publicado pelo Journal of the American Dental Association, pelos autores Lucien J. Bellamy, Vincent G. Kokich and Jake A. Weissman; do Department of Orthodontics, University of Washington, Seattle. Mostra um caso clinico em que se associa o tratamento Ortodontico com a dentistica estética restauradora em um caso de desgaste coronário dos incisivos superiores.

Os autores examinaram os efeitos da intrusão ortodôntica de incisivos desgastados em pacientes adultos, para facilitar a restauração, concentrando-se especificamente em mudanças no nível do osso alveolar e comprimento da raiz.

Os autores analisaram registros de 43 pacientes adultos (idade média de 45,9 anos). Eles identificaram a intrusão por meio de radiografias cefalométricas e o nível ósseo e comprimento de raízes por meio de radiografias periapicais. Eles calcularam diferenças de tratamento desde o período pré-tratamento para o período pós-tratamento.

Em geral, seguido do nível ósseo do dente durante o tratamento, mas uma pequena quantidade de perda óssea ocorreu (P <.0001). Não houve significativa associações com idade, sexo, tempo de tratamento, intrusão ou pré-tratamento do nível ósseo. Todos os dentes apresentaram reabsorção radicular significativa durante o tratamento (média = 1,48 milímetros). No entanto, a mudança foi semelhante ao observado em incisivos que não se intruiu. Não houve associações com idade, sexo, tempo de tratamento ou intrusão, mas não havia uma relação positiva entre o comprimento radicular pré-tratamento e de reabsorções de raizes.

A Intrusão de incisivos em adultos move o complexo dento gengival apicalmente e é um valioso coadjuvante do tratamento restaurador. Potenciais consequências iatrogênicas como perda do osso alveolar e reabsorção radicular são mínimos e comparáveis com as conseqüências de outros movimentos ortodônticos.


Link do artigo na integra via JADA:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe !