ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Movimento dentário humano induzido por tensões contínuas altas e baixas

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Movimento dentário humano induzido por tensões contínuas altas e baixas




Neste artigo de 2014, publicado pela Angle Ortohodontist, pelos autores Whitney N. DeForest; Jodi K. Hentscher-Johnson; Ying Liu; Hongzeng Liu; Jeffrey C. Nickel; Laura R. Iwasaki; do Departments of Orthodontics & Dento-facial Orthopedics and Oral & Craniofacial Sciences, University of Missouri-Kansas City UMKC SOD) , Kansas City, Mo. Mostra um estudo realizado para avaliar a eficiência biomecanica com níveis de força variáveis no procedimento de retração dos caninos superiores.

O estudo foi realizado com o intuito de comparar movimentos dentários tridimensionais resultantes de tensões relativamente mais elevadas e menores em um desenho de boca dividida.

Oito voluntários cujos primeiros pré-molares superiores foram removidos para tratamento ortodôntico participaram. Caninos superiores de cada indivíduo aleatoriamente foram retraídos por tensões constantes de 78 kPa e 4 kPa através de mecânica segmentar. Modelos de gesso representando 8-10 visitas por sujeito em mais de 84 dias e um microscópio de três eixos foram usados ​​para medir movimentos em série. A Estatística descritiva e modelagem linear mista foram aplicados para análise de dados.

Dentes movidos por 78 kPa apresentaram significativamente movimento distal mais rápido  (0,066 +- 0,020 milímetros / dia) em comparação com os dentes movidos por 4 kPa (0,031 +- 0,012 milímetros / dia). O movimento lateral e rotação distopalatal também foram significativamente mais rápidos (quatro vezes e 10 vezes, respectivamente) com a tensão mais elevada do que com  mais baixa. A Média de extrusão-intrusão, torque coroa, e de tip foram pequenos, oscilou, e não foram significativamente diferentes entre as tensões altas e baixas. Nenhuma fase atraso da movimentação dentária foi evidenciada.

Os autores concluíram que os Caninos superiores foram retraídos mais rápido com 78 kPa do que por 4 kPa. A Translação Controlada foi possível com 4 kPa, mas 78 kPa ultrapassou limitações do aparelho, fazendo com que ocorresse uma rotação distopalatal.

Link do artigo na integra via Angle Orthodontist, (Angle Orthod. 2014;84:102–108.):

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe !