ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Entrevista com o Dr. Flavio Vellini - Parte 02

sábado, 18 de janeiro de 2014

Entrevista com o Dr. Flavio Vellini - Parte 02




Dando continuidade a entrevista com o Dr. Flavio Vellini, postarei agora a 2ª parte da entrevista com este grande nome da Ortodontia.


1) Marlos Loiola - Em vários Países como os Estados Unidos da America, a Ortodontia anda de mãos dadas com a Ortopedia dos Maxilares, O que o Doutor achou da separação destas especialidades aqui no Brasil? E o gradativo desaparecimento da Ortopedia dos maxilares dos centros de estudos e publicações científicas aqui no Brasil?

Prof. Vellini – Ortodontia e Ortopedia dos Maxilares são partes componentes de um todo relativo à ciência voltada ao estudo do crescimento e desenvolvimento dos maxilares, da face e do corpo em geral, com influências sobre o posicionamento dos dentes e elementos associados. Tem como objetivo a prevenção, interceptação e tratamento de todas as formas de más oclusões dentais e das alterações das estruturas circunvizinhas pela aplicação e o controle de aparelhos funcionais ou corretores, visando a manter relações ótimas oclusais, bem como harmonia estética e funcional entre os componentes do aparelho mastigador. Depreende-se pois, pela definição exposta, que este sistema vivo, sensivelmente adaptativo, em particular durante o período de crescimento e desenvolvimento do complexo craniofacial, se molda perfeitamente tanto ao tratamento ortodôntico, que visa precipuamente à movimentação dental, quanto ao ortopédico, que se destina à relocação óssea espacial. Assim sendo, não há porquê separar ortodontia de ortopedia, uma vez que a perfeita interdigitação dental, base de uma oclusão estável, só conseguimos com o uso de aparelhos fixos.


2) Marlos Loiola - Em relação a Ortodontia Lingual. Quais situações em que podemos empregá-la, tempo médio de tratamento, vantagens e desvantagens da técnica.

Prof. Vellini – Vejo, atualmente, a ortodontia lingual como um grande avanço da especialidade uma vez que, na sociedade moderna em que vivemos, a beleza tem assumido cada vez mais importância na vida pessoal, até mesmo no sentido de elevar sua auto estima. Por essa razão, profissionais de diversas áreas têm buscado soluções estéticas e cosméticas com o intuito de bem orientar seus tratamentos.

O número de pacientes adultos que procuram os consultórios para correção do posicionamento dental tem aumentado consideravelmente, surgindo a Ortodontia Lingual como uma opção bastante viável, por apresentar a possibilidade de colagem do aparelho fixo pelo lado interno da cavidade bucal (face palatina e lingual dos dentes), evitando-se, assim, o sorriso metálico. Novas tecnologias voltadas para o aperfeiçoamento dos braquetes linguais têm proporcionado um real conforto ao paciente sem prejuízo da dicção. Estudos realizados por fonoaudiologistas no Instituto Vellini, evidenciaram perfeita tolerância dos pacientes por esse tipo de aparelho, sejam eles colocados em adultos ou crianças.

A grande vantagem que vislumbro na ortodontia lingual relaciona-se à estética e ao tempo de tratamento que é consideravelmente diminuído quando comparado à ortodontia vestibular, ou seja, comum tempo médio de tratamento de doze meses. Não diria que há desvantagens em seu emprego, mas sim certa limitação relacionada fundamentalmente ao tamanho da coroa dental no sentido cervico-oclusal que, em alguns casos, por ser diminuto não permite a fixação dos braquetes. Como em todos os ramos da ortodontia, a aquisição de amplos conhecimentos biológicos e dedicado treinamento prático, são requisitos indispensáveis para a boa prática clínica especializada em aparelhos linguais.

Prof. Vellini com o grupo de Professores do Nucleo de Ortodontia Lingual do Instituto Vellini: Profª Rita de Cássia S. Baratela Thurler, Prof. Alexander Macedo e Profª Andreia Cotrim Ferreira


3) Marlos Loiola - O doutor é um desbravador de fronteiras no que se diz respeito a cursos. Como é lidar dia a dia com alunos ávidos por informações. E como está sendo a experiência de passar sua vivência para os colegas Portugueses (Assíduos leitores do nosso BLOG). Como anda a ortodontia por lá?

Prof. Vellini – Ensinar sempre foi meu ideal. E o faço com o máximo prazer e dedicação. Recebemos no Instituto Vellini, profissionais de todas as partes do mundo ávidos pelo saber ortodôntico, o que aumenta, em muito, a minha responsabilidade e a de toda equipe que dirijo. Daí procurarmos sempre estar constantemente atualizados nos vários campos da especialidade para que possamos transmitir as novidades mais recentes, quer na área tecnológica quanto científica. Entendemos que uma sólida formação biológica facilitará, e muito, ao aluno, diagnosticar e planejar os problemas oclusais mais freqüentes. “Pari passu”, um treinamento clínico bem orientado, alicerçado em princípios de biossegurança, de psicologia aplicada ao paciente, de ética e de uma biomecânica simples, mas eficiente, são condições imprescindíveis para uma correta prática clínica.

Ao ditar cursos aos irmãos portugueses, chamou-me a atenção sua profunda cultura, educação e facilidade de aprendizado, com certeza pela dedicação com que se houveram nas salas de aula ou nos ambientes clínicos. Senti, contudo, uma defasagem entre as técnicas utilizadas em Portugal quando comparadas às que adotamos no Brasil. Talvez seja esse fato devido ao célere avanço tecnológico em nosso país que nos obriga a estar constantemente atualizando conhecimentos na área.

Uma boa noticia aos amigos Portugueses é que apartir de fevereiro de 2010 ministraremos no Centro Universitarios de João Pessoa, na Paraiba, Ciclos de formação avançada, os mesmos ministrados em São Paulo. Desta maneira, eles poderão além de realizar um treinamento intensivo, aproveitar as maravilhas do litoral nordestino.

4) Marlos Loiola - Por falar nisso, o que o senhor acha da atual situação da Ortodontia aqui no Brasil?

Prof. Vellini – Vejo a atual situação da Ortodontia no Brasil com bons olhos. Ela está hoje no início de grandes transformações tanto sob os aspectos tecnológicos quanto demográficos. As exigências dos pacientes por bons tratamentos certamente eliminará os profissionais menos preparados. A evolução dos aparelhos ortodônticos fará com que o tratamento se estenda a um maior número de pessoas exigindo dos ortodontistas atualizarem-se em técnicas de grande eficiência. A indústria se interessará em produzir, aumentando a disponibilidade de recursos terapêuticos o que por certo tornará mais em conta o material a ser adquirido pelo profissional. Enfim, todos serão beneficiados: pacientes, ortodontistas e industriais.

5) Marlos Loiola - Conheço bem o seu site, muito bem explicativo e com muitas informações, gostaria que o doutor falasse um pouco do mesmo, sobre os fóruns e discussões de casos clínicos.

Prof. Vellini – Com o entusiasmo que sempre nos caracterizou há algum tempo nós temos nos dedicado à difusão de conhecimentos com a utilização da Internet, com cursos virtuais, semipresenciais, alcançando profissionais não somente das distintas regiões do Brasil, que sem este recurso teriam dificuldades para sua atualização, como também alunos da América Latina (Venezuela, Chile, Peru, Bolívia, Colômbia, Uruguai) e Europa (Portugal e Espanha).

Fomos um dos precursores do módulo de discussão de casos clínicos a distância, sendo que esta proposta se insere em um plano mais amplo de ensino em Teleodontologia. Trata-se de uma nova forma de educação continuada, que cria um espaço de debates com colegas da área ortodôntica, rompendo o seu isolamento profissional. O objetivo é discutir o diagnóstico e o planejamento de casos clínicos complexos que muitas vezes necessitam de um debate mais aprofundado para a sua solução.

Sem sombra de dúvidas, cada dia eu fico mais surpreso com as possibilidades da comunicação. Discutimos casos clínicos com um colega, em particular, ou com grupos de estudos de distintas regiões geográficas, como se estivéssemos todos sentados na mesma sala de aula.

Estamos agora avançando em nosso projeto de Teleodontologia; nosso Instituto, em parceria com o Grupo CINETVNET, tem realizado a transmissão de videoconferências para congressos ou pequenos grupos de estudos. Isto possibilita uma grande economia de tempo, evitando a dificuldade de agenda e o deslocamento físico de renomados professores para um local especial, tendo ainda a vantagem dos participantes acessarem nosso Portal para rever mais uma vez o conteúdo transmitido.




Videoconferencia Transmitida para o Centro de Estudos Santa Barbara, em Maracay – Venezuela, coordenado pela Profa. Marisela Gonzales de Bello


6) Marlos Loiola - Com relação aos cursos dados aqui no Brasil gostaria que o doutor falasse um pouco deles, inclusive sobre o mestrado realizado na UNICID.

Prof. Vellini – Há mais de três décadas preparo profissionais para o competitivo mercado de trabalho. E os preparo bem. Isso por que tenho uma filosofia de ensino que mostra ao alunado um caminho a seguir que, se trilhado com esmero e dedicação, o conduzirá sucesso. Nenhum aluno nosso inicia a carreira de ortodontista sem um prévio treinamento básico, adquirido em aulas teóricas, seminários, debates, leitura orientada, etc. e um adestramento de suas habilidades em simuladores. A partir daí é que estará apto a se especializar voltando-se para as atividades clínicas ou aprofundando seus estudos em um curso de Mestrado para seguir a carreira do magistério. Mesmo assim, constantemente organizamos Ciclos de Formação Avançada, como intuito de manter os colegas a par das últimas novidades no campo da ortodontia.


Formatura da 1ª. Turma de Especialização do Instituto Prof. Flávio Vellini (junho-2008)



Formatura da 2ª. Turma de Especialização do Instituto Prof. Flávio Vellini (junho-2009)

Com onze turmas de Mestres formados pela Universidade Cidade de São Paulo, estamos no momento abrindo vagas para a décima segunda, sempre procurando incutir no aluno a idéia que a educação por ele recebida na escola nada mais é do que um curso sobre a vida, cujo trabalho de alguns anos sob a orientação de professores é apenas uma preparação, como nos ensinou Willian Osler.

7) Marlos Loiola - Doutor Vellini, gostaria que o senhor ficasse a vontade para fazer a as considerações finais.

Prof. Vellini - Como mensagem a todos os colegas que estão se iniciando ou já praticam há algum tempo essa difícil, mas cativante especialidade, eu quero dizer que não parem de estudar. Especializem-se e mantenham-se atualizados, pois no futuro, só terão êxito aqueles profissionais que bem se prepararem.
PROF. DR FLÁVIO VELLINI-FERREIRA (SP)

- Doutor, Livre-Docente e Professor Associado pela USP.
- Coordenador do Curso de Mestrado em Ortodontia do Instituto Vellini
- Diretor do Centro de Treinamento Odontológico e Coordenador dos Cursos de Pós Graduação em Ortodontia do Instituto Prof. Flávio Vellini
- Member of the MBT Global Group

Autor do Livro ORTODONTIA -Diagnóstico e Planejamento Clínico Ed. Artes Médicas 6a. Edição e 2a. Edição em Espanhol.

Contatos: 55 11 2577-7842 55 11 3289-0307
vellini@vellini.com.br
Link do Instituto Vellini:

Um comentário:

  1. Marlão esta ótima a entrevista, parabéns pela iniciativa (como sempre). precisando de alguam ajuda é só falar.
    Abraço

    ResponderExcluir

Participe !