ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA: Janeiro 2012

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Novos autores da coluna OrtoTecnologia da Revista Científica da Sociedade Paulista de Ortodontia (SPO)








Amigos leitores do Ortodontia Contemporânea
Em dezembro de 2011, recebemos uma noticia especial que nos emocionou e deixou super felizes. A Revista Cientifica da Sociedade Paulista de Ortodontia (SPO) por intermédio do seu Editor Chefe, o Dr. Flávio Cotrim Ferreira, nos convidou para participar como colunistas do novo espaço do periódico científico, a coluna OrtoTecnologia, espaço que bimensalmente terá publicado um artigo científico, direcionado à inovação científica e tecnológica na Ortodontia. 
Neste mês de Fevereiro será publicado o nosso primeiro de uma série. O título escolhido foi, Modelos Digitais Tridimensionais. Um tema contemporâneo e com bastante publicações consistentes. Fizemos um apanhado na literatura mundial para compartilhar com os leitores as possibilidades, vantagens e aplicações destes recursos na clinica diária do Ortodontista. 

O que também nos deixou super orgulhosos foi contar com a colaboração do Dr. Chung How Kau, Chairman e Professor da Faculdade de Odontologia da Universidade do Alabama - EUA. Que gentilmente nos cedeu uma sequencia de imagens que ilustram a criação do modelo 3D apartir de uma imagem gerada por tomografia computadorizada de feixe cônico. Protocolo este que ele descreveu em uma publicação de 2011 e que citamos no nosso artigo. O Dr. Chung How Kau, também é autor do livro  “Three-Dimensional Imaging for Orthodontics and Maxillofacial Surgery” publicado pela editora Blackwell em 2010.

Alguns dados da revista SPO:   A primeira revista de Ortodontia no Brasil,  44 anos de tradição, 6 edições por ano, Tiragem auditada de 5.500 exemplares, Qualis B Nacional – Base de Dados Lilacs e BBO
Aos interessados pelo assunto OrtoTecnologia e em se aprofundar neles, convidamos  a conhecer ainda mais este novo desafio que abraçamos, via revista da SPO. Já estamos trabalhando no próximo artigo, cujo um tema julgamos interessante e intimamente ligado a ciência, aguardem!!! 
Abraço a todos,

Marlos Loiola
Wendel Shibasaki


Link da Revista SPO:
Assinatura da Revista SPO:


quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Curso Avançado da Academia da Ortodontia Contemporânea


Amigos leitores do Blog Ortodontia Contemporânea,

Há 3 anos estamos promovendo a educação continuada através da internet e ativamente na condução do GEORTO (Grupo de Estudos Ortodônticos da Bahia). Agora estamos oferecendo o primeiro curso presencial do grupo e o maior curso voltado para especialistas em ortodontia do Brasil! Com 6 módulos bimensais e todos os maiores nomes do Brasil.

Clique na imagem abaixo e saiba mais sobre este curso que vai revolucionar a ortodontia.


Não perca tempo! Ainda temos vagas!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

OrtoPodCast - Episódio 18 - Alinhadores estéticos


Saudações amigos leitores do www.ortodontiacontemporanea.com !
Estamos colocando no ar mais um episódio do OrtoPodCast. Para os menos antenados com a tecnologia, um podcast é um arquivo de áudio que pode ser tocado em qualquer dispositivo tocador mp3, atualizado automaticamente se você assinar. Para assinar é fácil e gratuito. Basta clicar na opção iTunesStore abaixo, se você for usuário dos divices da Apple. Caso não seja, pode optar por assinar na opção indicada.



Se preferir não fazer download e escutar direto do seu computador, clique aqui e vá para a nossa página de players de podcast.


Mas se você for usuário dos iTrecos ou Mac, pode acessar a iTunes Store e assinar gratuitamente nosso cast. Pode fazer suas sugestões e críticas também!

Espero que gostem deste episódio no qual falamos sobre Invisalign, Clear Align e Essix. Individualmente e em conjunto. Aproveitem!




domingo, 22 de janeiro de 2012

Pensamento da Semana





"Nunca se afaste de seus sonhosPorquese eles se forem 
você continuará vivendomas terá deixado de existir."


Mark Twain

sábado, 14 de janeiro de 2012

Estudo da legalidade do exercício profissional da Ortodontia por cirurgião-dentista não-especialista



Um interessante e polêmico artigo publicado pela: Revista Dental Press de Ortodontia Ortopedia Facial 42.e1 Maringá, v. 14, n. 6, p. 42.e1-42.e10, nov./dez. 2009


Autores:

Ivan Toshio Maruo, Maria da Glória Colucci, Sérgio Vieira, Orlando Tanaka, Elisa Souza Camargo, Hiroshi Maruo

Os autores discorrem, com embasamento jurídico, sobre a legalidade do clínico exercer a ortodontia corretiva.

É do conhecimento de todos, especialmente dos clínicos que exercem a ortodontia, que a lei que ainda está em vigor no. 5081 /66 admite que a graduação dá o conhecimento necessário ao exercício da odontologia, sem restrições. O que acontecia na época era que , em respeito aos seus pacientes e a si próprio, os dentistas clínicos que não se sentiam preparados para determinada intervenção em qualquer especialidade, encaminhava para um especialista.

Com o tempo, por melhora na graduação ou diminuição do respeito, os clínicos têm se aventurado a iniciar tratamentos complexos de ortodontia sob a ilusão de que o aparelho fará tudo com as simples trocas de fio.

Isso motivou muitos protestos. Alguns soam como desespero mercante, outros parecem ter uma preocupação social e de saúde pública mais evidente.

De qualquer sorte vou postar este artigo para a reflexão dos amigos leitores.

Wendel Shibasaki

Resumo do Artigo:

Objetivo: tendo em vista o conflito existente, no Ordenamento Jurídico brasileiro, entre o princípio da legalidade e o princípio da dignidade da pessoa humana no que diz respeito à prática da Ortodontia pelo cirurgião-dentista não-especialista, este trabalho teve como objetivo analisar a legislação e os julgados dos tribunais nesse assunto.



Métodos: realizou-se o levantamento da legislação referente ao ensino e à prática da Ortodontia no Diário Oficial da União e nos órgãos competentes. Com relação aos julgados dos tribunais, a pesquisa foi realizada nos Tribunais de Justiça e nos extintos Tribunais de Alçada de todos os Estados-membros da República Federativa do Brasil, bem como do Superior Tribunal de Justiça e do Supremo Tribunal Federal, utilizando as palavras-chave “Ortodontia”, “ortodôntico” e “ortodontista”.

Resultados: a legislação brasileira classifica os cursos de pós-graduação em stricto sensu e lato sensu, os quais possuem normas de funcionamento próprias. As Diretrizes Curriculares Nacionais determinam que, no curso de graduação em Odontologia, seja apenas ministrada a Ortodontia Preventiva. Os tribunais brasileiros entendem que, para a prática da Ortodontia Corretiva, é necessária habilitação em curso de pós-graduação.


Conclusão: o curso de graduação em Odontologia é competente para o ensino da Ortodontia Preventiva; somente os cursos de pós-graduação stricto sensu e lato sensu são competentes para ensinar a Ortodontia Corretiva; é inconcebível a interpretação de que o legislador faculta ao cirurgião-dentista não-especialista praticar a Ortodontia Corretiva; e o cirurgião-dentista não-especialista só pode praticar procedimentos que estejam incluídos na categoria de Ortodontia Preventiva e Interceptiva.


Link do artigo na integra em PDF, via Dental Press:

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Historia da Ortodontia - Pedro Planas



Um dos grades nomes da OFM, cientista e entusiasta da especialidade. Achei o seu historico no Site da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA "PEDRO PLANAS" DE REABILITAÇÃO NEURO-OCLUSAL - ABPP-RNO, escrito pelo Dr. Renato Chierighini. Conheçam um pouco mais da Historia de vida deste profissional que amava o que fazia.


Dr. Pedro Planas: Doutor em Medicina e cirurgia; odontólogo; ex-professor de prótese das Faculdades de Medicina de Madri e Barcelona; Fundador e primeiro presidente da Sociedade Espanhola de Ortodontia (SEDO); Fundador e Presidente permanente do Clube Internacional de Reabilitação Neuro-Oclusal (CIRNO); Fundador da Sociedade Espanhola de Periodontia (SEPA); Membro da Real Academia de Medicina da Cataluña; Membro de honra da Sociedade Francesa de Ortopedia Dento-Facial; Membro de honra do Clube Internacional de Morfologia Facial.


Desde criança, Dr.Planas acompanhava os trabalhos de prótese no laboratório montado em sua casa por seu pai, que era cirurgião-dentista. Talvez por esse motivo tenha aprendido a gostar da odontologia e seguramente essa foi a causa principal de uma de suas afirmações: "Conhecer a prótese é o primeiro passo para conhecer mais tarde a especialidade odontológica". Desde o início de sua carreira profissional, Dr.Planas preocupou-se com o problema periodontal. Já naquela época, ao analisar os dois principais fatores de perda dental: a cárie e o problema periodontal; constatou que o primeiro estava sendo muito bem conduzido, com a evolução dos materiais restauradores; a vinda dos motores de alta rotação; a sensível melhora na qualidade das brocas; o desenvolvimento de melhores materiais forradores de cavidade; e, principalmente a prevenção através do flúor.No entanto, Dr. Planas observou que o segundo principal fator de perdas dentais (o problema periodontal), ainda estava muito pouco esclarecido, uma vez que os procedimentos preventivos e terapêuticos limitavam-se às técnicas de escovação; às raspagens e curetagens. Em outras palavras, com a evolução dos estudos microbiológicos, a odontologia voltou-se completamente para o fator "placa bacteriana" como a principal e definitiva etiologia do problema periodontal. No entanto, algumas perguntas ficavam no ar: Por que alguns pacientes com perfeita higienização tinham problemas periodontais graves, a ponto de perderem todos seus dentes por falta de implantação óssea? Por que indivíduos sem absolutamente nenhuma higienização não desenvolviam nem mesmo uma pequena inflamação gengival? Ao se fazer essas perguntas, Dr. Planas percebeu que havia algo mais do que simplesmente uma colônia bacteriana na etiologia da doença periodontal...o equilíbrio oclusal.


Dr. Planas passou então a focalizar seus estudos em devolver à boca de seus pacientes o equilíbrio funcional para conseguir uma função fisiológica das articulações alvéolo-dentárias. Observou que, para conseguir esse equilíbrio, muitas vezes tinha que modificar completamente a posição das peças dentárias; modificar a situação do plano oclusal; e desenvolver as bases ósseas quando as mesmas estavam "atrasadas" em seu crescimento. Neste caminho para conseguir bocas equilibradas, Dr. Planas foi: fundador da Sociedade Espanhola de Periodontia (SEPA); fundador e primeiro presidente da Sociedade Espanhola de Ortodontia (SEDO); membro honorário da Sociedade Francesa de Ortopedia Dento-Facial; membro honorário do Clube Internacional de Morfologia Facial (França); e, professor de prótese das Faculdades de Medicina de Madri e Barcelona.


Com o tempo, Dr. Planas observou que os resultados dos casos tratados com as técnicas disponíveis até então não eram satisfatórios. Muitos tinham grande porcentagem de recidiva e o problema periodontal, na maioria deles, persistia. Além do mais, todas essas técnicas terapêuticas eram empregadas em pacientes que já apresentavam alterações morfológicas; ou seja, não se trabalhava em prevenção. A partir desses questionamentos, desenvolveu-se toda a Reabilitação Neuro-Oclusal (RNO). Com sua inteligência ímpar nos ensinou o que é uma boca equilibrada; nos descreveu todo o processo da gênese do sistema estomatognático e o mais impressionante; observando um crânio, decodificou as chamadas "Leis Planas de Desenvolvimento" que descrevem os mecanismos fisiológicos de crescimento, adaptação e manutenção do equilíbrio do aparelho estomatognático. Nos casos onde já existiam alterações morfológicas, Dr. Planas experimentou todos os tipos de técnicas disponíveis até então e avaliou seus resultados. Pouco a pouco verificou que em maior ou menor grau, todas as aparatologias tinham um componente de força mecânica e não provocavam as respostas fisiológicas das Leis Planas. Graças a essa insatisfação, Dr. Planas viu-se obrigado a desenvolver sua própria aparatologia (placas Planas, Equi-Plan, Planas composto, e outros) e, mais do que isso, desenvolveu procedimentos preventivos (ajustes oclusais, recursos de resina compostas, pistas diretas) e também criou uma série de procedimentos relacionados ao tratamento tardio (ajustes oclusais, próteses parciais que não impedem o cumprimento das Leis Planas, próteses em "escalera" e procedimentos específicos para a construção de próteses totais equilibradas).


Nesse caminho de desenvolvimento da reabilitação neuro-oclusal houve uma outra dificuldade: os métodos de diagnósticos até então limitavam-se à avaliação clínica, radiográfica e análise de modelos (não relacionados). No que se refere à avaliação clínica, a RNO propõe o chamado "diagnóstico funcional" que não se limita a simplesmente descrever as alterações morfológicas da boca, mas, essencialmente, observa a "dinâmica funcional" da mesma. Dr. Planas criou também a "Análise Gnatostática Planas", que nos permite ter uma visão tridimensional da boca e, consequentemente, diagnosticar com mais precisão as alterações de desenvolvimento ósseo e de posição dental.


Durante esses anos de desenvolvimento da RNO, Dr.Planas ganhou muitos admiradores e discípulos, o que o fez criar o CIRNO (Club International de Rehabilitación Neuro-Oclusal). Desde 1962, o CIRNO promove anualmente o Congresso Internacional de Reabilitação Neuro-Oclusal onde trabalhos e pesquisas de "reabilitadores neuro-oclusais" são mostrados e debatidos. Atualmente, todos os sócios de Associações oficiais de Reabilitação Neuro-Oclusal são automaticamente considerados membros do CIRNO.


Com seu trabalho científico e comprovações clínicas de mais de 60 anos, Dr.Planas adquiriu respeito e admiração em todo o mundo, e algum tempo antes de falecer (1994) recebeu sua principal honraria: membro da Real Academia de Medicina da Cataluña. Um título conferido pelo rei da Espanha somente aos mais destacados do mundo científico.






Link da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA "PEDRO PLANAS" DE REABILITAÇÃO NEURO-OCLUSAL - ABPP-RNO:
.
.
Link da C.I.R.N.O.:
.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

TV Ortodontia - Historia da Ortodontia - Parte1







Conseguimos formatar mais uma aula para Tv Ortodontia, o tema é Historia da Ortodontia, tivemos que dividi-la em 03 partes, no decorrer deste semestre postaremos as partes seguintes. Nesta primeira parte, será mostrado um dos primeiros achados no que remete a um tratamento ortodontico, falaremos também da primeira publicação que se tem noticia na area da Odontologia pelo Pierre Fauchard, posteriormente um dos primeiros tratados publicado no Dental Cosmos pelo Dr. Norman Kingsley. Outra publicação foi a do Dr. Farrar que fundamentou biologicamente todos os conceitos ligados a biomecânica Ortodontica. Falamos também do Dr. Edward Hartley Angle que revolucionou toda a Ortodontia do inicio do século com a evolução dos seus conceitos que culminou com a criação dos braquetes e filosofia Edgwise. Finalmente o Dr. Calvin Case que introduziu o protocolo de utilização de elásticos intermaxilares e exodontias como método auxiliar na terapêutica ortodontica.

Esperamos sugestões e críticas, para desta forma, oferecer a você um material com máxima qualidade possível.



Video no tamanho original: Clique aqui

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

ETCHMASTER®





Este acessório descartável transforma a seringa triplice do equipo Odontologico em um micro jato. Interessante para remoção de resíduos de resina tanto do dente como do braquete.


O que o fabicante diz:


São pré descartáveis de ar abrasivo, melhora a cimentação e resistência adesiva das superfícies dentárias, próteses, e selantes intra-orais em geral, cosmética, Pediátria e para tratamentos ortodônticos, são abrasivos leves e macios. O EtchMaster ® fornecem opções para remoção localizada de manchas. Simples e baratos os adaptadores EtchMaster ® tem um bom custo/beneficio com efetiva substituição aos tradicionais micro sistemas de ar abrasivo.




Link sobre o produto:
.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Pensamento da Semana


"A felicidade de um amigo deleita-nos. Enriquece-nos. Não nos tira nada. Caso a amizade sofra com isso, é porque não existe."


Jean Cocteau
1889 - 1963

Link sobre o autor:

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Um Modelo Computacional para a simulação do processo de Remodelação Óssea

Saudações amigos leitores deste blog!

Apesar de ser um artigo um tanto antigo, para os padrões da tecnologia aplicada, publicado pela revista Applied Computing Engineering em novembro de 2002, portanto com 9 anos, achei interessante sua leitura para entender um pouco a visão e as dificuldades dos engenheiros sobre os fenômenos biológicos que culminam nas ferramentas que tanto gostamos de divulgar neste site.

O autor é Paulo R. Fernandes do Instituto de Engenharia Mecânica de Lisboa-Portugal, ao qual fazemos nossas reverências.


O osso é um material celular que adapta a sua estrutura às solicitações mecânicas a que está sujeito. Neste artigo, apresenta-se um modelo computacional para caracterizar a distribuição da densidade relativa e a orientação do osso trabecular, simulando o processo de adaptação. Considerando o osso como um material celular de densidade variável e utilizando técnicas de optimização estrutural, a distribuição de densidade e orientação são obtidas pela minimização de uma função dependente da rigidez e da massa total de osso.


Os resultados obtidos refletem as características morfológicas observadas no fêmur real. A utilização de um critério de cargas múltiplas, mostra-se também fundamental para a obtenção de resultados mais próximos da realidade.

A utilização de uma função objetivo que combina fatores mecânicos com fatores biológicos permite um aumento ou diminuição da massa dependendo diretamente das cargas sem impor limites. Este fato é uma evolução em relação aos métodos de otimização de topotolia com um volume de material imposto. O fator beta que reflete o custo biológico de formação do osso tem uma influência decisiva no volume total do osso. Este fator pode ser generalizado a uma função de diversos fatores tais como doença, estado hormonal ou idade.




O modelo apresentado neste artigo é uma contribuição para a compreensão do mecanismo e remodelação óssea devido às alterações de carregamento. Logo, poderá ser útil no desenvolvimento de ferramentas computacionais para a análise de projetos de próteses ortopédicas. De fato, na presença de um implante a distribuição da força é alterada e o osso deixa de ser solicitado da mesma forma, levando à absorção óssea. Com o objetivo de estudar este fenômeno , este modelo tem vindo a ser aplicado ao estudo da prótese total da articulação da anca.

Para ver o artigo em pdf, clique aqui.

Boa leitura e boas idéias para pesquisa!