ORTODONTIA CONTEMPORÂNEA

domingo, 2 de agosto de 2015

Pensamento da Semana

"Quer você acredite que consiga fazer uma coisa ou não, você estará sempre certo!"

Henry Ford 

terça-feira, 21 de julho de 2015

Projeto de um paciente virtual com estruturas crânio-faciais










Neste artigo publicado no site da Universidade do Sul da California, pelos autores Reyes ENCISO, Ahmed MEMON, Ulrich NEUMANN, James MAH do Craniofacial Virtual Reality Lab, School of Dentistry, Integrated Media Systems Center, School of Engineering, da Universidade do Sul da California, Los Angeles, California. Mostra a criação de um paciente virtual tridimensional de todas as estruturas crânio faciais, inclusive com a captação dos movimentos funcionais mandibulares

Um dos objetivos de pesquisa no Laboratório de Realidade Virtual e Craniofacial do Integrated Media Systems Center da Universidade do Sul da Califórnia é construir um paciente virtual craniofacial da apartir de dados obtidos através da Tomografia computadorizada crânio facial; modelos digitais dentes, e acompanhamento do movimento mandibular humano. 
Primeiro, duas técnicas diferentes para adquirir representações tridimensionais dos tecidos moles serão apresentadas. Então, a segmentação automática da maxila e da mandíbula serão apresentados, seguidos da reconstrução tridimensional dessas estruturas. 
Os resultados preliminares na integração de alta qualidade dos modelos digitais dentários com os modelos reconstruídos através da Tomografia Computadorizada será mostrado. 
Finalmente, uma integração dos dados tridimensionais obtidos através da tomografia computadorizada  e de um dispositivo que através de ultra-som rastreia o movimento da mandíbula humana, e permite a visualização dos movimentos da mandíbula em três dimensões.
Esta pesquisa é um primeiro passo na construção de uma paciente com estrutura craniofacial virtual completa, o que permitirá que outros pesquisadores desenvolvam métodos para a simulação de cirurgias,  planejamento de tratamento e tópicos para outras pesquisa.



Link do artigo na integra via site da Universidade do Sul da California:


quinta-feira, 16 de julho de 2015

Uso da Tomografia Computadorizada no diagnóstico de Caninos Inclusos - Coluna OrtoTecnologia







Foi publicado na Edição de Número 03, Volume 48, junho de 2015 da Revista da Sociedade Paulista de Ortodontia, mais um artigo da Coluna OrtoTecnologia, que aborda a utilização do exame de tomografia computadorizada de feixe cônico no diagnóstico e planejamento de tratamento de caninos inclusos. Foi feito todo um apanhado da literatura disponível, das suas indicações e possibilidades que este recurso Contemporâneo veio a acrescentar na rotina do Ortodontista Contemporâneo.  

Link da revista SPO:
www.ortociencia.com.br

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Fabricação de Splints para Cirurgia Ortognática Utilizando Impressora Tridimensional












Neste artigo de 2008, pela Revista Oral Surgery, Oral Medicine, Oral Pathology, Oral Radiology & Endodontics, pelos autores Marc Christian Metzger, Bettina Hohlweg-Majer Schwarz, Mathias Teschner, Beat Hammer,Rainer Schmelzeisen, Freiburg, Germany; and Aarau, Switzerland Albert-Ludwig University Freiburg and Hirslanden Medical Center. Mostra mais uma ferramenta com tecnologia de ponta para confecção de split (goteira) inter-maxilar para ser usada na Cirurgia Ortognática.


Este estudo mostra uma nova técnica para produzir splits para cirurgia ortognática utilizando uma impressora 3D.


Após da aquisição tridimensional (3D) de dados por meio de uma tomografia computadorizada (TC) ou tomografia computadorizada de feixe cônico (CBCT) de pacientes com deformações ortognáticas, é possível realizar o reposicionamento virtual das bases osseas maxilares. Para reduzir artefatos, os modelos de gesso foram digitalizadas ou simultâneamente com o paciente durante a aquisição de dados 3D ou separadamente, utilizando um scanner de superfície.


Logo após é Importado e combinado os dados para o planejamento pré-operatório do caso, permitindo a transformação do reposicionamento planejado e da oclusão ideal. O sistema define um Split virtual entre as fileiras de dentes que permite codificar o reposicionamento ideal. Depois de realizar uma operação, as impressões dentarias são subtraídos do splint virtual. O "splint" definitivo depois é confeccionado por uma impressora 3D.


A técnica apresentada combina as vantagens de modelos de gesso convencional, planejamento virtual 3D preciso, e a possibilidade de transformar a informação adquirida em um Split dental ideal.


Link do artigo na integra via aadmrt: